Linha Verde

Desejo com este blog, tentar trazer à discussão temas diversos que de algum modo sejam de interesse, ou não, a "curiosos" como eu...

quarta-feira, dezembro 07, 2005

Aquecimento Global


O clima no nosso planeta está ligado a um complexo sistema que pode ser influenciado por diversos factores naturais, mudanças constantes na atmosfera, e acção directa do homem.
Variações climáticas podem ocorrer naturalmente, mas este último factor, o ser humano, tem sido apontado como o principal responsável pela mudança climática global, analisada em um extenso período de tempo.

O fenómeno natural chamado “efeito estufa”, é a forma que a Terra tem para manter a sua temperatura constante; contudo, é hoje o causador do aquecimento global.

O “efeito estufa" consiste, basicamente, na acção do dióxido de carbono e outros gases (metano, clorofluorcarbonetos – CFC´s- e óxidos de azoto) sobre os raios infravermelhos reflectidos pela superfície da terra, reenviando-os para ela, mantendo assim uma temperatura estável no planeta.
O efeito de estufa gerado pela natureza é, portanto, não apenas benéfico, mas imprescindível para a manutenção da vida sobre a Terra.

Contudo, um aumento da concentração destes chamados "Gases de Efeito Estufa" tem como consequência o aquecimento do ambiente em que vivemos.
O dióxido de carbono é um dos maiores vilões. O excesso dele na atmosfera é resultado da queima de combustíveis fósseis (como o petróleo, gás natural e carvão mineral), desflorestação e queimadas (as chamadas mudanças drásticas no uso do solo, que é um ecossistema que absorve C02., além da libertação do mesmo durante o processo de queima. Outro vilão encontrado em menor quantidade é o metano, libertado pela produção e transporte de petróleo, gás e até pelos próprios processos digestivos de ruminantes. O óxido nitroso é liberado por fertilizantes agrícolas e os CFC´s são expelidos pelos refrigeradores, condicionadores de ar e ainda em alguns aerossóis.
São várias as consequências deste aquecimento, embora haja alguma controvérsia entre os cientistas.
Estas consequências serão sentidas tanto a nível global como a nível regional, afectando um pouco por toda parte os vários países. O aquecimento global poderá levar à ocorrência de variações climáticas tais como: alteração na precipitação, subida do nível dos oceanos (degelos), ondas de calor e eventos extremos como furacões, enchentes e secas acontecerão com mais frequência em todo o planeta. Uma profunda alteração do clima poderá ter consequências catastróficas para a vida na Terra e uma influência desastrosa nas sociedades, afectando a vida social, a produção agrícola e as reservas de água.

Quem polui mais?

O título de campeão nas emissões de gases estufa é dos Estados Unidos, que sozinhos são responsáveis por cerca de um quarto da produção mundial de CO2. Além de ser o país que mais polui em termos absolutos, os EUA possuem um dos maiores índices de emissão de gás carbónico per capita. Cada habitante norte-americano corresponde a mais de 5,5 toneladas de carbono lançadas ao ar anualmente. O lugar do mundo com maior emissão de gás carbónico per capita são as Ilhas Virgens Norte-Americanas, no Caribe, com mais de 33,2 toneladas anuais por habitante.O segundo maior poluidor é a China, mais pela numerosidade da sua população do que pelo abuso nas emissões. Entre outros grandes poluidores, tanto no índice total quanto no per capita, estão Rússia, Japão, Austrália, Reino Unido, Itália e Coreia do Sul.
Desculpem lá, o Protocolo de Quioto não é um capricho… como é possível haver ainda países, ditos civilizados e desenvolvidos, que se recusam a assinar este acordo?
Será que alguns destes são tão prepotentes e “lunáticos” que preferem acreditar que quando este planeta estiver totalmente envenenado e esgotado, rumam para outro idêntico…

6 Comments:

At 08 dezembro, 2005 17:51, Blogger Desambientado said...

Ok.
Rendeste-te à blogosfera.
Bemvindo.

 
At 15 dezembro, 2005 09:39, Anonymous Anónimo said...

O comentário final não será um bocado extremista?

 
At 15 dezembro, 2005 11:09, Blogger Ermida said...

Não me parece, visto que mesmo abordado este tema e a sua evolução com algum optimismo, custa a crer que consigamos atingir níveis satisfatórios de redução das emissões de gases com efeito de estufa, sem o esforço e compreensão de todas as nações, e em especial das maiores responsáveis por este fenómeno.
Ponto crítico (que baste) parece-me já ser a dificuldade do foro económico, que grande parte dos países vão ter de enfrentar neste desafio.
Todos se deparam, é certo, com um conjunto de oportunidades e de obstáculos em torno dos quais se revela fundamental promover um profundo debate envolvendo os mais diversos sectores económicos, desde o sector da produção de energia até ao sector dos transportes, passando pelos sectores da gestão de resíduos, da floresta, da indústria e da agricultura.
Será que nós, Portugal, cientes já que urge tomar medidas de fundo a fim de honrar compromissos assumidos, estamos preparados?

Oxalá não cheguemos a 2012 e estejamos ainda a “divagar” sobre esta temática de interesse global, assumindo que estivemos hoje a prever reduções muito tímidas e pouco significativas, para os níveis que nos é exigido!

 
At 16 dezembro, 2005 09:03, Anonymous Anónimo said...

Não discordo de parte do que dizes, mas qual será o papel da Índia e da China até 2012? Como é que controlando o USA e deixando livres os indianos e chineses controlamos seja o que for?

 
At 16 dezembro, 2005 09:06, Blogger Desambientado said...

Pegando um pouco no que dizes, creio que o esforço para nos adaptarmos à nova realidade do Mercado do Carbono, não será tão grande quanto isso. Necessitamos de visão e estratégia para nos convertermos rapidamente em termos de energias renováveis.
O nosso problema, é não ter políticos à altura de levar avante essas políticas estruturantes.

 
At 10 janeiro, 2006 21:18, Blogger Fátima Silva said...

Este blog inspira algo de muita qualidade. Parabéns! Para quando um novo post?

 

Enviar um comentário

<< Home